Nem uma a menos

Começou dia 06, pensei que seria legal escrever um texto para comemorar o dia da mulher. Acabou não dando tempo, cheguei em casa dos atendimentos as 21h. Fui colocar a Manu para dormir e programei, amanhã à noite escrevo. As 3:31 da manhã já do dia 07 acordei e comecei a pensar em algumas coisas que estavam me preocupando, perdi o sono, despertei e comecei a trabalhar. As 8 deixei a Manu na escola, fui no balé (yey), depois trabalhar, deixei o carro na oficina, peguei o carro na oficina, peguei a Manu na escola, voltei pra casa para deixar o carro, peguei um uber (o motorista ofereceu uma bala para a Manu, eu deixei ela comer e me senti culpada #primeirabala), peguei o outro carro que estava em outra oficina, passei no mercado, voltei para casa, arrumei a mochila da Manu, dei o jantar. O Vini chegou, deu banho nela. Coloquei para dormir e dormi antes. Acordei hoje. Putz!! Não tem texto!! Queria ir na marcha e queria levar a Manu... não deu! Não me senti segura em leva-la para a paulista. Queria fazer greve... não deu! Tinha na agenda uma gestante com 39 semanas de gravidez. Queria não fazer os trabalhos domésticos... não deu! Ou deu... nem sei... acho que não fiz mais por falta de tempo do que pela causa mesmo (Putz! Preciso arrumar a mochila da Manu, hj n vai rolar escrever na agenda da escola... mas li) Usei vermelho ✔️ Manu dormiu vou começar a escrever... Li a palavra guerreira mil vezes hoje. Não me senti confortável. Li a palavra heroína mil vezes hoje. Não me senti confortável. Li maravilhosa, linda, doce, delicada, frágil, forte. Não me senti confortável. Flores, flores e mais flores. Virtuais e reais. Não senti conforto. Senti um peso. Grande. Para mim chegou uma mensagem subliminar que as mulheres tem que carregar toda essa carga sozinhas. Afinal, somos super mulheres não é mesmo?! Conheci mulheres notáveis na minha caminhada, que me ensinaram como poderia ser diferente e enriquecedor parar de julgar as outras mulheres e apoia-las. Mulheres que me ajudaram a ter reflexões, a embasar as minhas escolhas e opiniões e a ter orgulho de ser MULHER e de trabalhar para empoderar e fortalecer outras mulheres. Como psicóloga tenho o privilégio de ouvir mulheres, acompanhar suas histórias, descobertas e transformações. Agradeço por isso. Amo de verdade o que eu faço e a mulher que me tornei. Falei feliz dia para muitas mulheres. Temos que celebrar e nos unir! Juntas somos mais fortes! As vezes eu queria não ter tantas informações. Deixar o vento me levar. Queria escrever um texto fofo. Mandar flores virtuais e dizer: "Para você mulher guerreira!!" Ser feminista faz a gente estudar, pensar, questionar. Ouvir discursos machistas e de ódio trazem angústia e tristeza. Nem sempre é fácil. Nem sempre é confortável. Nem sempre é bom. Respiro. Reflito. E a conclusão é sempre a mesma: "É sempre melhor saber! É sempre melhor!" #luta #8M #pelavidadasmulheres#NemUmaAMenos


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2016 por Mãe Psicóloga. Orgulhosamente criado com Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now