Eu falo, tu falas... Alguém se entende?





Há alguns meses eu peguei meu primeiro UBER, adorei! Depois desse dia, sempre que preciso uso o aplicativo.


Essa semana eu precisei, fiz um percurso relativamente longo e achei um motorista, que como eu, gosta de conversar. Começamos a falar sobre o tempo, o transito, a saída do Cunha (Yey!), família, filhos, profissão... Até que ele começou a me contar que achava que o casamento dele tinha acabado. Perguntei o porquê, e ele me contou que eles “não se entendem mais”.


Aí me contou algo que aconteceu esses dias, a esposa chegou em casa e falou: “Tem uma academia de balé tão legal na rua de baixo.” Ele continuou: “Sabe, com essa frase, ela me pressiona a colocar a menina no balé, aí não consigo dinheiro suficiente para pagar e tenho que acabar tirando a menina da aula. Quando vou jogar na cara dela que a menina está sofrendo porque ela que me forçou a coloca-la no balé, sem saber se eu podia ou não pagar, ela me responde: “Mas eu não te pedi nada...”


Eu respondi para ele: “Mas ela não pediu mesmo.”.


Nossa, o moço ficou um pouco irritado comigo, pensei que ele ia me deixar no meio do Elevado Costa e Silva. Falou que eu estava do lado da esposa dele, que isso era um absurdo, afinal era ele quem eu conhecia e não ela, que se ele soubesse não teria me contado nada!! Tentei acalma-lo dizendo que na verdade, eu não estava do lado de ninguém e que acreditava de verdade que eles estavam tendo problemas para se comunicar.


Perguntei se a necessidade dele era de que ela fosse mais clara e que talvez, se ela colocasse a fala de outra forma ele se sentiria melhor. Aí falei para ele a frase de um jeito diferente: “Eu acho que seria legal colocar a nossa filha no balé, você acha que daria para a gente pagar as aulas dela?”


Ele olhou para mim e falou: “É isso! Eu quero que ela fale exatamente o que quer e não que fique mandando recado!”


Respondi: “Então o senhor precisa fazer este pedido a ela!”


Cheguei no destino! Agradeci e saí do carro. Mas a reflexão ficou...


Quantas vezes a minha comunicação falha por dia? Quantas vezes eu deixo de dizer algo ou me expresso de forma diferente do que eu gostaria? Quantas vezes uma briga começa e nem sei o porque, acaba que ficam as acusações, as mágoas e o desconforto de não ter tido minhas necessidades internas atendidas.


A comunicação é um exercício.


Às vezes parece bem óbvio, mas na sociedade em que vivemos aprendemos que “o melhor” e o “mais inteligente” é aquele que responde antes e mais rápido. Acabo percebendo que desta forma acabamos não refletindo e que, grande parte das vezes, respondemos sem escutar.


Se comunicar de forma clara é um exercício diário, uma reconstrução que requer prática e persistência e quanto mais me aprofundo no assunto, percebo o quanto o óbvio não é nada óbvio.


Sou a Damiana, mãe da Manuela e psicóloga.

#comunicação #exercício #expectativa #realidade #necessidades #relacionamentos

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2016 por Mãe Psicóloga. Orgulhosamente criado com Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now